Segunda, 21 de agosto de 201721/8/2017
82 99913 3591
Muito nublado
18º
20º
22º
Uniao Dos Palmares - AL
dólar R$ 3,15
euro R$ 3,70
Banner Cemar
ECONOMIA
16 estados gastam mais em aposentadoria do que em educação
Inclusive nas sete maiores economias do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Bahia.
Redação União dos Palmares - AL
Postada em 30/07/2017 ás 12h21 - atualizada em 30/07/2017 ás 15h21
16 estados gastam mais em aposentadoria do que em educação

Gasta-se mais com aposentadoria do que educação em 60% do Brasil. As contas estão nos relatórios fiscais dos 26 estados, mais o Distrito Federal. A folha de pagamento da previdência de servidores, o chamado regime próprio dos servidores (RPPS), já é a maior em 16 unidades federativas - inclusive nas sete maiores economias do país: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Bahia.


 

Apenas na região Norte, se excluir o Pará, há mais investimentos em educação. Matemática oposta à do Rio Grande do Sul, que gasta em aposentadoria o triplo do que investe em educação. Segundo o IPCA dos primeiros três meses deste ano, o valor chega a R$ 7,28 bilhões.


Em seguida está o Rio de Janeiro - que tem despesas previdenciárias duas vezes maiores do que as educacionais (R$ 7,27 bilhões). São Paulo pagou R$ 9,83 bilhões em aposentadorias no primeiro trimestre deste ano, o valor é, no entanto, R$ 4 bilhões menor do que o mesmo período de 2016.


Consultor de Orçamento da Câmara, Leonardo Rolim defende que "o déficit financeiro dos RPPS é o principal componente da crise fiscal dos Estados, e vai aumentar muito nas próximas décadas". Na previsão do economista, a crise só piorará até, pelo menos, a década de 2030.


Conforme Rolim, em 2015,o déficit dos estados foi de R$ 61,44 bilhões - o que equivaleria a R$ 31.748 por servidor aposentado. Vale salientar que a reforma da Previdência - que pode ser votada pelo Congresso apenas em 2018 - não impacta os estados. Cada unidade federativa deve, de acordo com o texto analisado hoje, apresentar as propostas próprias em até seis meses após a promulgação da nova lei.

FONTE: Notícias ao Minuto
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium