Sexta, 20 de abril de 2018
82 99913 3591
Política

09/09/2017 ás 15h26

141

Redação

União dos Palmares / AL

Geddel é acusado de desvios desde seu primeiro cargo público em 1983
O ex-ministro foi encaminhado para o presídio da Papuda na noite dessa sexta-feira (8)
Geddel é acusado de desvios desde seu primeiro cargo público em 1983
© Ueslei Marcelino / Reuters

ex-ministro Geddel Vieira Lima já foi alvo de uma sucessão de denúncias de corrupção. Em 1983, Geddel tinha 25 anos quando foi indicado para o cargo de diretor da corretora de valores do Banco Estadual da Bahia (Bandeb).



Segundo a reportagem do jornal O Globo, um ano depois, uma auditoria interna do banco identificou um desvio de cerca de R$ 2,7 milhões (em valores atualizados) da corretora. O dinheiro era fruto de um esquema que teria beneficiado Geddel, seu irmão, o hoje deputado Lúcio Vieira Lima, seu pai, o ex-deputado Afrísio Vieira Lima, e sua mãe, Marluce. No entanto, os envolvidos negam a acusação de que usaram o banco público para ter rendimentos acima das taxas de mercado. Em 1984, Geddel foi demitido. 


Apelidado de “Geddel 20%”, “agatunado” e “boca de jacaré”, em referência ao “grande apetite por negociatas” e após inúmeras indicações políticas, Geddel foi eleito deputado federal em 1990.


O ex-senador Antônio Carlos Magalhães dizia que a campanha foi paga com dinheiro desviado de um fundo destinado a comprar equipamentos para a Polícia Civil (Funresp).


Ao assumir seu mandato na Câmara, Geddel esteve envolvido no escândalo dos “Anões do Orçamento”. O então deputado foi acusado de manipular emendas para beneficiar empreiteiras. A CPI que investigou o caso, em 1993, o absolveu.


As acusações contra Geddel seguiram e oito anos depois foi lançado um documentário chamado “Geddel Vai Às Compras”. O jornal O Globo destaca que o vídeo denuncia que o patrimônio do ex-ministro cresceu 364% de 1994 a 1998 e lança suspeitas sobre a forma como ele comprou fazendas no interior da Bahia e imóveis em Salvador.


Geddel foi preso preventivamente na sexta-feira (8), na casa em que mora e onde cumpria prisão domiciliar em Salvador. A prisão foi determinada pelo juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, em uma nova fase da Operação Cui Bono, que investiga fraudes na Caixa Econômica Federal. O ex-ministro fez exame de corpo de delito e foi levado para o Complexo Penitenciário da Papuda na noite de sexta (8).

FONTE: Notícias ao Minuto

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
Mais lidas
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium